(Créditos fotográficos: Albertina Costa)

A construção do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, em Coimbra, data do século XVII, substituindo o medieval Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, que era fustigado frequentemente pelas cheias do rio Mondego. 

O seu conjunto arquitectónico inclui uma igreja dedicada à Rainha Santa Isabel, padroeira da cidade de Coimbra – por isso, também é conhecido como Convento da Rainha Santa –, tendo a ala a norte sido atribuída ao exército português, entre 1911 e 2006.

O edifício, classificado como Monumento Nacional, desde 1910, foi convento, quartel e, nos últimos anos, tem aberto as portas à Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra – Anozero.

Quantas vezes passamos, olhamos para este edifício conventual fechado e imaginamos as histórias que por lá aconteceram. Observar através das janelas, sobretudo em locais abandonados, é sempre um desafio ou um estímulo para as nossas curiosidade e imaginação, daí que nunca perdemos uma visita a esta bienal. A curiosidade vai muito para além das instalações artísticas e centra-se na exploração dos espaços e no olhar através das janelas para o exterior. Estas fotografias, que não captaram a arquitectura das belas janelas (altas no piso térreo e pouco elevadas do chão no andar superior) que estão na frontaria do edifício, mas, sim, aquelas que inspiram alguma magia.

(Créditos fotográficos: Albertina Costa)
(Créditos fotográficos: Albertina Costa)

.

04/12/2023

Siga-nos:
fb-share-icon

Albertina Costa

Maria Albertina Silva Nogueira Fonseca Costa é licenciada em Serviço Social, pelo Instituto Superior de Serviço Social de Coimbra, com pós-graduações em Intervenção Sistémica, pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, e em Proteção de Menores, pelo Centro de Direito da Família da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Foi cofundadora da Delegação Regional do Centro da Associação de Profissionais de Serviço Social, da qual foi a primeira presidente. Desenvolveu a sua atividade profissional na área da saúde, em vários estabelecimentos no Porto e em Coimbra. Nos últimos anos, trabalhou essencialmente com grávidas e com crianças de risco social. Foi coordenadora de equipa no Hospital dos Covões (Hospital Geral) e na Maternidade Bissaya Barreto, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Nesta última unidade, coordenou o projeto piloto “Nascer Cidadão”, que incentivava os pais a registarem os filhos na Maternidade. Atualmente, é presidente da direção da Sorriso – Associação dos Amigos do Ninho dos Pequenitos, da qual foi cofundadora e a cujos corpos sociais pertenceu. Em 2015, iniciou formação na área da Fotografia, a que se dedica de forma formal e informal, constituindo uma atividade que a tem motivado nos últimos anos. Observar a realidade que a rodeia e captá-la através da lente tem sido a sua paixão. Com a rubrica “O Meu Olhar”, Albertina Costa traz uma nova perspetiva ao jornal "sinalAberto".

Outros artigos

Share
Instagram