(Créditos fotográficos: Albertina Costa)

O Mosteiro de São Jorge de Milreus está localizado a poucos quilómetros da cidade de Coimbra, na União de Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, na estrada que vai para a Conraria. Embora possa passar despercebido a quem circule nesta via, o mesmo não acontece se estivermos a banhos na Praia Fluvial do Rebolim, na margem direita do rio Mondego. É um edifício com uma área considerável e implantado numa vasta zona florestal.

Na origem deste mosteiro está a fundação, no final do século XI, de uma ermida, em honra de São Jorge, situada na mata de Milreus (ou de Milraus), por D. Sesnando, moçárabe abastado e Senhor do Território de Coimbra.

Ao longo dos tempos, foram ocorrendo várias obras, sobretudo, a partir do século XVI. O Mosteiro de São Jorge de Milreus foi objecto de várias campanhas artísticas parcelares, destacando-se os revestimentos azulejares da igreja e da sala do capítulo, datáveis da primeira metade do século XVIII, e a campanha de pintura joanina executada por André Gonçalves, para a capela-mor da igreja.

Desde 1834, com a extinção das ordens religiosas e a passagem desta propriedade para privados, o seu património artístico foi, sucessivamente, alienado e o edifício chegou a apresentar uma enorme degradação.

Em 1999, foi elaborado um projecto de reabilitação parcial para alojamento da Escola Universitária Vasco da Gama, cujo funcionamento teve início no ano lectivo de 2000/2001 e onde esta instituição de ensino superior, de referência nas Ciências Veterinárias, permaneceu até 2013.

Actualmente devoluto, continua propriedade de privados, com zonas particularmente degradadas, mas ainda é bem visível um património riquíssimo, especialmente em azulejaria.

 (Créditos fotográficos: Albertina Costa)
(Créditos fotográficos: Albertina Costa)
(Créditos fotográficos: Albertina Costa)
(Créditos fotográficos: Albertina Costa)´
(Créditos fotográficos: Albertina Costa)

01/01/2024

Siga-nos:
fb-share-icon

Albertina Costa

Maria Albertina Silva Nogueira Fonseca Costa é licenciada em Serviço Social, pelo Instituto Superior de Serviço Social de Coimbra, com pós-graduações em Intervenção Sistémica, pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, e em Proteção de Menores, pelo Centro de Direito da Família da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Foi cofundadora da Delegação Regional do Centro da Associação de Profissionais de Serviço Social, da qual foi a primeira presidente. Desenvolveu a sua atividade profissional na área da saúde, em vários estabelecimentos no Porto e em Coimbra. Nos últimos anos, trabalhou essencialmente com grávidas e com crianças de risco social. Foi coordenadora de equipa no Hospital dos Covões (Hospital Geral) e na Maternidade Bissaya Barreto, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Nesta última unidade, coordenou o projeto piloto “Nascer Cidadão”, que incentivava os pais a registarem os filhos na Maternidade. Atualmente, é presidente da direção da Sorriso – Associação dos Amigos do Ninho dos Pequenitos, da qual foi cofundadora e a cujos corpos sociais pertenceu. Em 2015, iniciou formação na área da Fotografia, a que se dedica de forma formal e informal, constituindo uma atividade que a tem motivado nos últimos anos. Observar a realidade que a rodeia e captá-la através da lente tem sido a sua paixão. Com a rubrica “O Meu Olhar”, Albertina Costa traz uma nova perspetiva ao jornal "sinalAberto".

Outros artigos

Share
Instagram